domingo, 18 de junho de 2017

Se tiver que haver adeus...




Se houve amor, houve paixão ou houve amizade,
Que seja adeus sem rancor.

Se tiver que haver adeus,
Que seja adeus suave.

Se tiver que haver adeus,
Que seja adeus generoso e deixe as lembranças felizes.

Se tiver que haver adeus,
Que seja adeus piedoso e destrua recordações tristes.

Se tiver que haver adeus,
Que seja adeus sem lágrimas.

Se tiver que haver adeus,
Que seja adeus que leve o que lhe foi ofertado.

Se tiver que haver adeus,
Que seja adeus com abraço amigo.





quarta-feira, 14 de junho de 2017

Início ou fim?



Ela brinca com o aro da aliança, a faz rolar pela mesa ou rodopiar em torno de um eixo imaginário gerando uma esfera dourada.

Aliança de casamento, dentro gravado o nome dele e a data que aconteceu o sim oficial. O olhar fixo modifica as formas que se desenham pelos movimentos. O pensamento nas lembranças passadas e nas de hoje.

A aliança rodando vence o espaço até perder o impulso e tombar sobre a mesa. Antes do sim oficial, outros sim’s aconteceram sem aliança, que não viveu esses dias, não percorreu esses espaços, não tombou neles.

A cada queda da aliança ela a incentiva com novo impulso que novamente a leva percorrer outro espaço, ou rodopiar numa área restrita. Como ela rodopia em alguns dias sentindo-se no centro da esfera gerada pelos movimentos e presa ao seu eixo. Eixo fálico, a natureza e a continuidade. Ele, ela e a aliança.

Agora ela tem a aliança presa entre os dedos. Movimenta-a e observa.

Onde é o início e onde está o fim dela? Existe um fim numa aliança? Tem que haver, tudo tem início e fim, a vida, o amor, um relacionamento, somente na aliança não acontece um fim? Como se desfaz uma aliança para se chegar ao seu fim? Talvez seja o ponto onde termina seu nome gravado. Ou ali é o início, ou o fim do início, ou o início do fim?



Que todo fim possa ser um início...


domingo, 4 de junho de 2017

Onde está a felicidade?


"A procura da felicidade"-Leila Luli

Procurei-a...

Pelos amores
Pelos prazeres
Pelos cantos e recantos
Nos abraços e beijos
Na alegria do riso fácil
Na roupa e joias cobiçadas
Assim como nos perfumes caros
Pelos sucessos e conquistas
Pelas amizades verdadeiras
Pelas notas musicais
Nos poemas
Pelos paladares refinados
Pela natureza, no mar e nas estrelas
Nos desafios
No sorriso da criança
Na solidariedade
No egoísmo
No autoconhecimento
Nos sonhos.

E na procura encontrei...

Momentos e até dias felizes e sorri.
Injustiça e incompreensão e chorei.
Mais dor e lágrimas que sorrisos.
Desilusão...

Onde está a felicidade?
Felicidade constante,
Só felicidade?

Finalmente encontrei a plenitude dela:
Felicidade está nas lembranças.
Revivendo os tempos felizes,
Desprezando os que não foram.
Folheando o álbum de recordações,
Trazendo o feliz do ontem
Para ensinar o agora
Incentivando o amanha...


quinta-feira, 11 de maio de 2017

Vida vivida e vida sonhada



Vivo!
Vivo e penso.
Pensamentos reais,
Concretos.

Vida vivida consciente
Onde a realidade é crua,
Dura,
Mesclada de prazeres,
Poucos.

Viver e sonhar
Necessidade intrínseca.
Viver e sonhar amor.
Imaginar e tornar real.

Sonhar a vida
Repleta de alegrias,
Plena.
Desligar o mundo
Encontrar a verdade.

Vida sonhada,
Oculta.
Necessária.
Complementar.

Complexidade do ser.
Dom recebido.
Ou inspiração?


domingo, 23 de abril de 2017

Trilogia: O Imprevisto, os caminhos e a decisão





Vida, por que me apresenta dois ou mais caminhos na hora de uma decisão?
E por que me brinda com imprevistos que pedem soluções?
Com isso arma em mim, uma batalha.
É a razão optando pelo mais fácil, o óbvio, aquele que se espera seja o escolhido.
E vem a emoção carregando princípios contumazes aplaudindo a escolha...

Mas a intrometida da dúvida surge e a perturbação acontece,
Então chamo a imaginação que diz à razão:
Vamos analisar as consequências dos futuros caminhar pelos trajetos sugeridos.
Como ela é parte de mim, conhece bem meus quereres e minhas necessidades,
A deixo solta e unida à razão para desenhar todas as possibilidades.

E as duas mostram com clareza, que o que é o mais fácil hoje, poderá ser o mais difícil no futuro...
Enfrentar os problemas agora é a indicação que as duas, apoiadas timidamente, pela emoção, concluem.
Visto minha armadura e parto para o confronto com as feras, que sei existirem pelo caminho...

Um homem não é outra coisa senão o que faz de si mesmo.

terça-feira, 18 de abril de 2017

Existências



Existe sombra existe treva existe luz.           
Existe chama existe brasa existe água.
Existe plural existe singular existe uno.
Existe paixão existe entrega existe nada.
Existe jogo existe luta existe vitória.
Existe encanto existe mágoa existe perdão.
Existe gula existe fome existe pão.
Existe calmaria existe guerra existe paz.
Existe doação existe sofrer existe fruto.
Existe amor existe dor existe flor.
Existe tudo, pois existe Deus.


quinta-feira, 6 de abril de 2017

Dancei



E pelo chão esvoacei,
Rodopiei,
Rodopiei e de exaustão cai,
Cai ao chão.
Ao chão pelos anjos clamei
E chorei,
Chorei e novamente dancei.

Dancei, dancei e dancei.

Flutuei,
Flutuei e voei
E ao céu cheguei.
Cheguei e procurei,
Procurei e aos anjos perguntei
Onde está o que encontrei
Em tempos que amei.

Dancei, dancei e dancei.

E à terra retornei,
Retornei e entendi
Que realidade ao anjo mostrei,
Realidade esquecida.
Agora revivida.

Dancei, dancei e dancei.

O amor reencontrei,
Reencontrei e compreendi
Não estar abandonada.
E sim, muito lembrada.
Amada.

E dancei, dancei, dancei ...
..............................................................

"Se procurarmos a verdadeira fonte da dança e nos virarmos para a Natureza verificamos que a dança do futuro é a dança do passado, a dança da eternidade, que sempre foi e será a mesma".


Isadora Duncan (1878-1927)


sábado, 25 de março de 2017

Ausências



Ausência física traz angústia,
Mas...
Existe ausência com presença
E presença na ausência.

E ausência de ser...?

A vida é a ausência de ser da morte.
O mal é ausência de ser do bem.
Inveja, ausência de ser autoconfiante.
Dor é ausência de ser do prazer
Criatividade é ausência de ser triste.
Sombra é a ausência de ser da luz
Olhar, ausência de ser da falsidade.
Amor é a ausência de ser da soberba.

Amor, a razão de ser da vida!


quinta-feira, 9 de março de 2017

Sem Título




Fui sem pátria, sem registro,
sem nação e sem razão,
renasci com certidão,
mas sem dar e sem amar,
nem receber e nem saber,
era andor sem flor,
planta sem fruta,
recebi pedras e atirei,
caí num labirinto e me perdi,  
sofri em suas entranhas,
cheguei ao fim, triste assim,
mais uma vez retornei
até a porta encontrar e o mar me levar,
nadei e a praia alcancei,
o sol me aqueceu,
fiz-me estrela do mar,
linda, imóvel e dócil,
aprisionada em grades de cristal,
brilhei por tempos, luz ilusória,
me vesti de brilho falso,
voltei à escuridão,
procurei por festa, encontrei dores,
em aborto espontâneo expulso a cobra,
de branco me visto, afasto pedras,
abro caminhos, avivo a esperança,
entendo o amor, por ele almejo,
em mim o sinto, de verdade o amei,
floresci e frutifiquei... e vivi!


segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Vestida de baiana, rodou a baiana




Tudo passa, tudo passará.

E  o carnaval passou.

E a fantasia ficou.


Roda baiana, roda...


Gira a saia e seu girar leva tristezas e traz alegrias.

Segura o tabuleiro na cabeça e nele coloca tua esperança.

Sinta o ritmo e encontre tua harmonia...

Do jeito que a vida compôs.


Esqueça dores, sinta o batuque do coração.

Faz do amor sua música vibrante,

E dos sonhos tua fantasia diária.


Roda baiana, roda... 

Viva com alegria seus enredos,

Desfile tua escola no sambódromo de seus dias.


domingo, 19 de fevereiro de 2017

Universo, Terra. Vida e Eu



Vida no Universo, vida no planeta Terra...

Na Terra vemos a vida.
Sentimos vida, respiramos e vivemos.

Terra que nos oferta sua natureza.
Estrelas cintilantes, o rei Sol, montanhas, morros, mares, lagos e rios, matas, desertos, pedras, flores, frutos, animais e vegetais, combustão que gera fogo, oxigênio para a vida, chuvas, neves, secas e acontecem terremotos, raios, maremotos e ventos, tufões, furacões.
Essa é a vida na Terra.

Eu sou vida e sendo vida, sou como a Terra.
Contornos de morros e curvas no meu corpo, cintilar de estrelas nos meus olhos e o Sol Divino no coração. Rios de sangue pelas veias, chuvas de lágrimas e também a placidez do lago em dias serenos. Produzo flores de alegrias e frutos com ações ditadas pelo amor e pedras, formadas pelos erros. Combustão no fogo da paixão e oxigênio no amor. Acontecem as tempestades: maremotos, raios, tufões e furacões causados pelas injustiças, as contrariedades, o descontrole e as perdas.
Em mim também existe a aridez do deserto, meu deserto interior que invade meu mundo fértil após as tempestades, expulsando o amor e trazendo tristeza, desânimo e me transportando às cavernas obscuras do meu ser, até reencontrar o oásis renovador.


Sou vida, sou Terra, sou Universo.